29 de nov de 2016

ESTUDO BÍBLICO


TEMA: O SACRIFÍCIO DE iSAQUE - pARTE ii - o dEUS QUE VÊ E pROVÊ!

  • Texto Bíblico: Gênesis 22.9-19
  • Data: 29/11/2016
  • Horário: 19:00 hs
  • Local: CEL Cristo de Uberlândia - MG

    "VENHA PARTICIPAR CONOSCO"

    SÉRIE - REFORMA LUTERANA - CONFISSÃO DE AUGSBURGO

     ARTIGOS DA FÉ E DA DOUTRINA LUTERANA


    ARTIGO XX - DA FÉ E DAS  BOAS OBRAS

    Os nossos são acusados falsamente de proibirem boas obras. Pois os seus escritos sobre os Dez Mandamentos bem com outros escritos provam que deram bom e útil ensino e admoestação a respeito de estados e obras de cristãos verdadeiros, de que pouco se ensinou antes de nosso tempo. Insistia-se ao contrário, em todos os sermões, principalmente, em obras pueris e desnecessárias, tais como rosários, culto de santos, vida monástica, romarias, jejuns e dia santos prescritos, confrarias, etc. Também o nosso oponente já não exalta essas obras desnecessárias tanto quanto antigamente. Além disso, também aprenderam a falar, agora, da fé, sobre a qual nada pregaram em tempos anteriores. Agora, contudo, ensinam que não nos tornamos justos diante de Deus unicamente por obras, mas acrescentam a fé em Cristo, e dizem que a fé e as obras nos tornam justos diante de Deus. Essa doutrina pode trazer um pouco mais de consolo do que quando apenas se ensina a confiar em obras. Visto, pois, que a doutrina da fé, que é o artigo principal no cristianismo, foi negligenciada por tempo tão longo, como é forçoso confessar, havendo-se pregado apenas doutrina de obras por toda a parte, os nossos deram a seguinte instrução a respeito: Em primeiro lugar, que nossas obras não nos podem reconciliar com Deus e obter graça: isto, ao contrário, sucede apenas pela fé, quando cremos que os pecados nos são perdoados por amor de Cristo, o qual, ele só, é o mediador que pode reconciliar o Pai. Agora, quem pensa realizar isso mediante obras e imagina merecer a graça, esse despreza a Cristo e procura seu próprio caminho a Deus, contrariamente ao evangelho. Essa doutrina a respeito da fé é tratada aberta e claramente por Paulo em muitas passagens, de modo especial em Efésios 2: "Pela graça foste salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós, porém é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie, etc." E que aqui não se introduz interpretação nova é coisa que se pode provar com Agostinho, que trata essa questão diligentemente e também ensina assim, a saber, que alcançamos a graça e nos tornamos justos diante de Deus por intermédio da fé em Cristo e não por obras, conforme mostra todo o seu livro De spiritu et litera. Conquanto essa doutrina seja muito desprezada entre pessoas não experimentadas, verifica-se, todavia, que é muito consoladora e salutar para as consciências tímidas e apavoradas. Porque a consciência não pode alcançar descanso e paz mediante obras, porém, somente pela fé, quando chega à segura conclusão pessoal de que, por amor de Cristo, possui um Deus gracioso, conforme também diz Paulo em Rm 5.1: "Justificados mediante a fé, temos descanso e paz com Deus". Em sermões de outrora não se promoveu esse consolo, porém, impeliram-se as pobres consciências para as próprias obras, e se empreenderam diversas espécies de obras. A alguns a consciência impeliu para os mosteiros, na esperança de que lá poderiam granjear graça mediante vida monástica. Alguns excogitaram outras obras com o propósito de merecer graça e satisfazer por pecados . A experiência de muitos deles foi não haverem alcançado a paz mediante essas coisas. razão por que foi necessário pregar essa doutrina da fé em Cristo e dela tratar diligentemente, a fim de que se soubesse que é somente pela fé, sem mérito, que se apreende a graça de Deus. Dá-se, outrossim, instrução para mostrar que aqui não se fala da fé possuída também pelos demônios e os ímpios, os quais também crêem os relatos que contam haver Cristo padecido e ressuscitado de entre os mortos; fala-se, ao contrário, da fé verdadeira, que crê alcançarmos por Cristo a graça e a remissão dos pecados. Aquele que sabe que por Cristo possui um Deus gracioso, esse conhece a Deus, invoca-o, e não está sem Deus, como os gentios. Porque demônios e ímpios não crêem nesse artigo da remissão dos pecados. Por isso é que são inimigos de Deus, não o podem invocar, e anda de bom podem esperar dele. A Escritura fala sobre a fé no sentido que acabamos de indicar, e não entende por fé um conhecimento que demônios e homens ímpios têm. Pois em Hebreus 11 ensina-se, com respeito à fé, que crer não é apenas conhecer a história, mas ter confiança em Deus e receber sua promessa. E Agostinho também nos lembra que devemos entender a palavra "fé", na Escritura, como significando confiança em Deus de que nos é clemente, não apenas conhecer tais notícias históricas que também os demônios conhecem. Ensina-se, ademais, que boas obras devem e têm de ser feitas, não para que nelas se confie a fim de merecer graça, mas por amor a Deus e em seu louvor. Sempre é a fé somente que apreende a graça e o perdão dos pecados. E, visto que pela fé é dado o Espírito Santo, o coração também se torna apto para praticar boas obras. Porque, antes, enquanto está sem o Espírito Santo, é demasiadamente fraco. Além disso, está no poder do diabo, que impele a pobre natureza humana a muitos pecados, como vemos nos filósofos que se lançaram à empresa de viver vida honesta e irrepreensível e, contudo, não conseguiram realizá-lo, porém caíram em muitos pecados graves e manifestos. É o que acontece ao homem quando está sem fé verdadeira e sem o Espírito Santo e se governa apenas pela própria força humana. Por isso, não se deve fazer a essa doutrina concernente à fé a censura de que proíbe boas obras; antes, deve ser louvada por ensinar que se façam boas obras e oferecer auxílio quanto a como se possa chegar a praticá-la. Pois que para praticar boas obras, invocar a Deus, ter paciência no sofrimento, amar o próximo, exercer com diligência ofícios ordenados, ser obediente, evitar maus desejos, etc. Tais obras elevadas e autênticas não podem ser feitas sem o auxílio de Cristo, conforme ele mesmo diz em Jo 15.5: "Sem mim nada podeis fazer". (Livro de Concórdia: As Confissões da Igreja Evangélica Luterana. São Leopoldo: Sinodal; Canoas: Ulbra; Porto Alegre: Concórdia, 2006, pg. 37-39)

    26 de nov de 2016

    Atividades da CEL Cristo para o fim de semana


    • SÁBADO - 26/11/2016
      • 13:30 - Doutrina
      • 16:00 - Encontro de Servas
      • 17:00 - Ensaio do Coral
      • 19:00 - Ensaio da banda
    • DOMINGO - 27/11/2016
      • 09:00 - Culto em Uberaba
      • 19:00 - Culto Especial de Advento e Ações de Graças 
        • Tema: "Advento - Tempo de renovar as Esperanças" - 
           Mateus 21.1-11

    "Deus é o nosso refúgio e a nossa força, socorro que não falta em tempos de aflição"
    Salmo 46.1

    22 de nov de 2016

    ESTUDO BÍBLICO

    TEMA: O NASCIMENTO DE ISAQUE PARTE V - DEUS PROVA ABRAÃO


    • Texto Bíblico: Gênesis 22.1-19
    • Data: 22/11/2016
    • Horário: 19:00 hs
    • Local: CEL Cristo de Uberlândia - MG

      "VENHA PARTICIPAR CONOSCO"

      SÉRIE - REFORMA LUTERANA - CONFISSÃO DE AUGSBURGO

       ARTIGOS DA FÉ E DA DOUTRINA LUTERANA



      ARTIGO XIX - DA CAUSA DO PECADO

      Com respeito à causa do pecado, ensina-se entre nós que, embora o Deus onipotente haja criado a natureza toda e a conserve, todavia, é a vontade pervertida que opera o pecado em todos os maus e desprezadores de Deus. Pois esta é a vontade do diabo e de todos os ímpios, a qual, tão logo Deus retraiu a mão, desviou-se de Deus para o mal, conforme diz Cristo, Jo 8: "Quando o diabo profere a mentira, fala do que lhe é próprio".(Livro de Concórdia: As Confissões da Igreja Evangélica Luterana. São Leopoldo: Sinodal; Canoas: Ulbra; Porto Alegre: Concórdia, 2006, pg. 36).  

      17 de nov de 2016

      Atividades da CEL Cristo para o fim de semana


      • SÁBADO - 19/11/2016
        • 08:00 - Preparação para receber membros do Conselho Distrital
        • 10:00 - Recepção aos Membros do Conselho Distrital
        • 11:30 - Almoço
        • 13:00 - Início da Reunião do Conselho Distrital
        • 15:00 - Café
        • 17:30 - Encerramento do Conselho Distrital
        • 19:00 - Encontro de Jovens com diretoria distrital
      • DOMINGO - 06/11/2016
        • 09:00 - Culto Último Domingo do ano Eclesiástico
          • Tema: "Deus nos abre mais um ano da Graça" - 
            Lucas 23.27-43

      "Deus é o nosso refúgio e a nossa força, socorro que não falta em tempos de aflição"
      Salmo 46.1

      15 de nov de 2016

      "Cristo, o remédio certo" Ml 4.1-6

      ESTUDO BÍBLICO


      TEMA: O NASCIMENTO DE ISAQUE PARTE Iv - A ALIANÇA ENTRE ABRAÃO E ABIMELEQUE


      • Texto Bíblico: Gênesis 21.22-34
      • Data: 15/11/2016
      • Horário: 19:00 hs
      • Local: CEL Cristo de Uberlândia - MG

        "VENHA PARTICIPAR CONOSCO"

        SÉRIE - REFORMA LUTERANA - CONFISSÃO DE AUGSBURGO

        ARTIGOS DA FÉ E DA DOUTRINA LUTERANA


        ARTIGO XVIII - DO LIVRE ARBÍTRIO

        Quanto ao livre arbítrio se ensina que o homem tem, até certo ponto, livre arbítrio para viver exteriormente de maneria honesta e escolher entre aquelas coisas que a razão compreende. Todavia, sem a graça, o auxílio e a operação do Espírito Santo, o homem é incapaz de ser agradável a Deus, temê-lo de coração, ou crer, ou expulsar do coração as más concupiscências inatas. Isso, ao contrário, é feito pelo Espírito Santo, que é dado pela palavra de Deus. Pois Paulo diz em 1 Coríntios 2: "O homem natural nada entende do Espírito de Deus". 
        E, para que se possa reconhecer que nisso não se ensina novidade, eis aí as claras palavras de Agostinho a respeito do livre arbítrio, aqui citadas do livro III do Hypognosticon: "Confessamos que em todos os homens há um livre  arbítrio, pois todos t~em entendimento e razão naturais, inatos. Não no sentido de que sejam capazes de algo que concerne a Deus, como, por exemplo, amar e temer a Deus de coração. Somente em obras externas desta vida têm liberdade para escolher coisas boas ou más. Por obras boas entendo as de que é capaz a natureza, tais como trabalhar ou não no campo, comer, beber, visitar ou não um amigo, vestir-se ou despir-se, edificar, tomar esposa, dedicar-se a um ofício ou fazer alguma outra coisa proveitosa e boa. Tudo isso, entretanto, não é nem subsiste sem Deus; ao contrário: dele e por ele são todas as coisas. Por outro lado, pode o homem também praticar por escolha própria o mal, como, por exemplo, ajoelhar-se diante de um ídolo, cometer homicídio, etc."

        12 de nov de 2016

        Culto 26ª Domingo após Pentecostes


        TEMA: "O Remédio certo!"

        Texto base: Malaquias 4.1-6

        Leituras BíblicasSalmo 98 
                                       Malaquias 4.1-6
                                        2 Tessalonicenses 3.6-13
                                        Lucas 21.5-28

        Hinos do Culto: 08 (C), 124 (LS), 67 (C), 99 (LS), 103 (LS), 1130 (LS), 185 (LS) - (C - Celebrai; LS - Louvai ao SENHOR)

        Hinos para Santa Ceia: 105, 117, 143 (Louvai ao SENHOR)

        Cor Liturgica: Verde

        Data do Culto: 13/11/2016

        Horário: 09:00 (manhã)

        "Cheguem perto de Deus, e ele chegará perto de vocês..." (Tiago 4.8)

        11 de nov de 2016

        Atividades da CEL Cristo para o fim de semana


        • SÁBADO - 12/11/2016
          • 13:30 - Aula de Confirmação
          • 16:00 - Encontro com Professores de Escola Bíblica
          • 17:00 - Ensaio do Grupo de Louvor (Coral e Banda).
        • DOMINGO - 06/11/2016
          • 09:00 - Culto 26º Domingo após Pentecostes
            • Tema: "O Remédio Certo!" - Ml 4.1-6

        "Confiem sempre em Deus, meu povo! Abram o coração para Deus, pois ele é o nosso refúgio." (Sl 62.8)

        8 de nov de 2016

        ESTUDO BÍBLICO


        TEMA: O NASCIMENTO DE ISAQUE PARTE III - AGAR E ISMAEL NO DESERTO


        • Texto Bíblico: Gênesis 21.8-21
        • Data: 08/11/2016
        • Horário: 19:00 hs
        • Local: CEL Cristo de Uberlândia - MG

          "VENHA PARTICIPAR CONOSCO"

          SÉRIE - REFORMA LUTERANA - CONFISSÃO DE AUGSBURGO

          ARTIGOS DA FÉ E DA DOUTRINA LUTERANA


          ARTIGO XVII - DA VOLTA DE CRISTO PARA O JUÍZO

          Também se ensina que nosso Senhor Jesus Cristo voltará no último dia para julgar, e que ressuscitará todos os mortos, dará aos crentes e eleitos vida e alegria eternas, porém condenará os homens ímpios e os demônios ao inferno e castigo eterno. Rejeitam-se, por isso, os anabatistas, os quais ensinam que os diabos e os homens condenados não sofrerão dor e tormentos eternos. Aqui se rejeitam, outrossim, algumas doutrinas judaicas que também, ao presente, se manifestam e, segundo as quais, antes da ressurreição dos mortos, um grupo constituído integralmente de santos e piedosos terá um reino terrestre e aniquilará todos os ímpios.

          "Deus nos livra de todo engano"

          3 de nov de 2016

          Atividades da CEL Cristo para o fim de semana


          • SÁBADO - 05/11/2016
            • 09:00 - Reunião da Diretoria
            • 13:30 - Aula de Confirmação
            • 17:00 - Ensaio do Coral e Banda
          • DOMINGO - 06/11/2016
            • 19:00 - Culto 25º Domingo após Pentecostes

          "Confiem sempre em Deus, meu povo! Abram o coração para Deus, pois ele é o nosso refúgio." (Sl 62.8)

          1 de nov de 2016

          ESTUDO BÍBLICO

          TEMA: "O NASCIMENTO DE ISAQUE PARTE II - Um riso de alegria"


          • Texto Bíblico: Gênesis 21.1-21
          • Data: 01/11/2016
          • Horário: 19:00 hs
          • Local: CEL Cristo de Uberlândia - MG

            "VENHA PARTICIPAR CONOSCO"

            SÉRIE - REFORMA LUTERANA - CONFISSÃO DE AUGSBURGO

            ARTIGOS DA FÉ E DA DOUTRINA LUTERANA


            ARTIGO XVI - DAS COISAS CIVIS

            Das coisas civis ensinam que ordenações civis legítimas são boas obras de Deus e que é lícito aos cristãos exercer ofícios, ser juízes, julgar segundo as leis imperiais e outras leis vigentes, impor pena segundo o direito, fazer, segundo o direito, guerra, prestar serviço militar, fazer contratos legais, possuir propriedades, jurar por ordem dos magistrados, ter esposa, casar-se. Condenam-se os anabatistas, que interdizem essas coisas civis aos cristãos. Também condenam os que põem a perfeição evangélica não no temor de Deus e na fé, porém, na fuga aos negócios civis. Porque o evangelho ensina a justiça eterna do coração. Entrementes, não destrói a ordem estatal ou familiar, senão que exige muitíssimo que sejam preservadas como ordenação de Deus, e que se exerça, em tais ordenações, o amor. Por isso, os cristãos devem, necessariamente, obedecer aos seus magistrados e às leis, a menos que exijam se peque, pois, neste caso, devem obedecer mais a Deus do que a homens. Atos 5.